Blog Post

Últimas do blog
15 Março 2013

Um dia pra lembrar de Tim Maia

Quando um artista talentoso morre sempre fica um vazio nas pessoas. Mesmo quem não admirava a arte produzida pelo falecido, acaba sendo contagiado de alguma forma. Parece que a morte cria um estado de reflexão mais profundo e muitas vezes na arte o real valor que uma obra possui só aparece depois que o criador deixa essa existência conhecida por nós. O homenageado do post de hoje teve seu êxito em vida, mas após a sua morte ele foi consagrado como um dos maiores artistas do Brasil.

Sebastião Rodrigues Maia, ou simplesmente Tim Maia, nasceu em 1942 no município de Niterói. Foi criado no bairro da Tijuca na zona Norte do Rio de Janeiro e se tornou o precursor da Soul Music brasileira. Na juventude Tim Maia morou por um tempo nos Estados Unidos e lá teve contato com a fina flor da Black Music. Quando regressou ao Rio de Janeiro ele mudou muita coisa na MPB e na Jovem Guarda.

Tim Maia foi amigo intimo de Erasmo Carlos, Roberto Carlos e Jorge Ben. Esses ilustres companheiros ajudaram bastante a impulsionar a carreira do polêmico cantor tanto que antes dele lançar seu primeiro álbum, em 1970, algumas de suas composições já eram gravadas por artistas renomados. Os primeiros hits de Tim foram “Azul da Cor do Mar” e “Primavera” e essas canções já mostraram ao público uma voz potente com uma interpretação única até então na música brasileira.

Eu não acredito que um artista talentoso deve ter uma vida exaltada e excêntrica cheia de momentos conturbados, mas sabemos que esse roteiro é escrito diversas vezes na História da Música. Tim Maia pisou no acelerador de forma visceral. Ao longo de sua carreira o cantor coleciona casos de confusão por uso de drogas, atrasos em shows e brigas com mulheres. Ele retornou dos Estados Unidos justamente por que foi deportado de lá por posse ilegal de drogas.

Como se não bastasse essa intensidade caótica, Tim Maia também procurou o lado oposto quando integrou uma seita religiosa, Cultura Racional. Ele viveu alguns anos levando uma vida bem regrada, com muita oração e nessa época ele produziu dois discos maravilhosos “Tim Maia Racional Vol. 1 e Vol. 2”. O cantor acabou se afastando da seita por motivos ideológicos e nos anos 80 ele retornou à vida boêmia.

No dia 15 de Março de 1998 o cantor faleceu. Ele já estava internado em um hospital de Niterói devido a sua fragilidade. Os relatos na internet destacam que Tim Maia estava pesando 140 kg e sofria de diabetes. Obviamente, o uso de drogas legais e ilegais agravou ainda mais o seu estado de saúde e seu corpo foi incapaz de combater uma infecção generalizada. Perdemos um incrível cantor, um compositor diferenciado e um inusitado síndico. Foi uma morte melancólica pra quem alegrava a vida das pessoas, mas esse roteiro a gente também já conhece.

Boa Semana a todos
Iano Fázio

Imagens dos sites:

http://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/noticias/familia-de-tim-maia-se-cala-sobre-a-exumacao-do-corpo-do-artista-20110323.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Tim_Maia

http://www.infoescola.com/biografias/tim-maia/

Deixe um Comentário

O Último Anjo // ETNO - As 7 Fronteiras
  1. O Último Anjo // ETNO - As 7 Fronteiras
  2. Diário da Morte // ETNO - As 7 Fronteiras
  3. Sétima Fronteira // ETNO - As 7 Fronteiras
  4. Sobre Viver // ETNO - As 7 Fronteiras