Blog Post

Últimas do blog
07 Fevereiro 2014

Pepeu Gomes, o Baiano Rockeiro

||
0 Comment
|

Em Salvador, Bahia, no dia 7 de Fevereiro de 1952 nasceu Pedro Aníbal de Oliveira Gomes, um dos maiores guitarristas do Brasil. Ele é mais conhecido como Pepeu Gomes e, na minha modesta opinião, é o mais talentoso dos Novos Baianos. A sua capacidade técnica e a fluidez como ele toca é algo muito bom de se ouvir. Pepeu Gomes impressionava a todos desde os tempos em que era iniciante. Vários artistas do Brasil inteiro o convidaram pra tocar junto. Gilberto Gil foi um dos que se rendeu ao talento do guitarrista baiano.

Tocar com Gil deu um grande impulso na carreira de Pepeu Gomes, mas o nosso ex-ministro fez outro grande favor pro Pepeu. Foi justamente Gilberto Gil que apresentou uma obra definitiva do Rock mundial para o talentoso guitarrista. Foi o álbum Jimi Hendrix Experience. A partir daquele momento Pepeu Gomes começou a misturar ritmos regionais com uma pegada rockeira e agradou muita gente no mundo.

O trabalho de Pepeu Gomes ganhou proporções maiores após o show antológico que fez no primeiro Rock In Rio. Pepeu foi ovacionado pelo público do festival. Muito diferente de Carlinhos Brown que não tive a sensibilidade artística pra se adaptar ao Festival. Além disso Carlinhos Brown achou que seu ego era maior que a multidão e tentava empurrar sua Brasilidade Pop com atitudes tão preconceituosas quanto as da platéia. Pepeu Gomes enfrentou a mesma hostilidade inicial, mas ele não perdeu a compostura e fez arranjos ousados para suas músicas. Tocou alguns temas instrumentais com distorção e acabou roubando a cena! Positivamente, claro!

A galera do Withe Snake e a do Megadeth fizeram questão de elogiar o guitarrista baiano. Pouco depois ele apareceu na lista da Rolling Stone entre os 10 melhores guitarristas do mundo. Deve Mustaine inclusive convidou Pepeu Gomes pra entrar no Megadeth, mas Pepeu recusou a proposta, pois ele não queria ser um mero músico contratado. Mesmo assim acho que ele faria bonito e talvez o Megadeth conseguisse o tempero necessário pra superar o Metallica, só que não!

A História de Pepeu Gomes pra mim é brilhante e é mais um caso quemostra que o Rock é bem vindo, sim, no Brasil. É um forte argumento pra mandar um “Cala a Boca seu Sambabaca Hipster Preconceituoso”!!!!! Digo isso porque ainda exite o medo da distorção na guitarra e discursos de alguns músicos que acham que possuem a exclusividade da Fina Flor da música brasileira. Porém o Rock é um estilo mutante e se adequa em qualquer cultura. Qualquer ritmo do mundo pode virar uma canção Rock. Além disso o Sepultura é tão importante na propagação da “Brasilidade” quanto Caetano Veloso, Tom Jobim e Chico Buarque. Basta ver o alcance mundial e comparar…

Um fato engraçado pra comentar é que foi justamente um rockeiro inglês que ajudou o Brasil a redefinir a própria MPB. Quando David Byrne resgatou o talento de Tom Zé a Música Popular Brasileira simplesmente percebeu que existiam outros caminhos a serem percorridos.

A “Moral da História” é que não faz mal nenhum ouvir o que o Rock tem a dizer!!! No período da Tropicália, por exemplo, as Guitarras Distorcidas sofriam o mesmo tipo de ofensa que o ex-jurado do The Voice Brazil sofreu. E mesmo assim o tempero do Rock dentro da Tropicália foi imprtante pra tirar as canções do nosso país da obviedade que havia no inicio dos anos 70.

Por isso hoje eu agradeço muito o que Pepeu Gomes fez. Sua música transcendeu quando ele abraçou o Rock e ele conseguiu se reinventar várias vezes ao longo da carreira. E o rock nem é a parte principal do seu vasto currículo. Parabéns pelo dia de hoje e por sua história, meu caro… Pepeu Gomes!!!

Boa semana à todos!!
Ass: Iano Fázio

Deixe um Comentário

O Último Anjo // ETNO - As 7 Fronteiras
  1. O Último Anjo // ETNO - As 7 Fronteiras
  2. Diário da Morte // ETNO - As 7 Fronteiras
  3. Sétima Fronteira // ETNO - As 7 Fronteiras
  4. Sobre Viver // ETNO - As 7 Fronteiras